23 fevereiro 2009

MEDO ESTRANGEIRO

Era inevitável. Agora que a crise se começa a acentuar nalguns países, com as inevitáveis repercussões ao nível do desemprego, já se começam a fazer ouvir algumas vozes xenófobas. No Reino Unido, o governo trabalhista (convém não esquecer...) começa a dar sinais que irá introduzir políticas que irão dar preferência aos trabalhadores britânicos )('to put British workers first'). Muito interessante... E o que farão com os trabalhadores comunitários? Como é que vão eles controlar a sua entrada? Como é que será feita a discriminação? Como é que a Comissão Europeia e os restantes parceiros comunitários irão reagir?
Eu já vivi na Inglaterra alguns anos e a decisão não me espanta tremendamente. Apesar de haver uma maior percentagem de imigrantes no Reino Unido do que na generalidade dos países europeus, a verdade é que ainda existe bastante discriminação, principalmente em relação aos países do Sul da Europa e do Leste europeu. E isto só para falar dos trabalhadores europeus. O que é interessante constatar é que o próprio governo e as elites britânicas começam a ser invadidos por este sentimento discriminatório e xenófobo. Sem dúvida, por motivos políticos, pois as eleições estão à porta. Mesmo assim, um mau sinal. Um muito mau sinal.

1 comentário:

Antonio disse...

Olá Alvaro,

Este meu comentario tem pouco a ver com este seu post.

Hoje a AIG veio publicamente apresentar os resultados do ultimo trimestre. 61.000.000.000 usa dol ! ! !

Esta tudo louco. E cada vez mais se caminha para a total descredibilização do sistema financeiro internacional. E todas as semanas aparece uma nova bomba.

E o prejuizo do RSB na semana passada parece uma brincadeira ao pé deste. Este é record mundial de todos os tempos.

O que mais irá acontecer? Com tantos balões de oxigénio de triliões de nada para evitar o colapso, vamas apostar que brevemente passamos a uma hiperinflacção?

Antonio