06 dezembro 2010

DÍVIDA PÚBLICA E CRESCIMENTO ECONÓMICO

Em 2011, a dívida pública portuguesa em percentagem do PIB será a mais elevada dos últimos 160 anos, batendo o anterior máximo registado na última década do século 19, quando o país foi forçado a declarar uma bancarrota parcial.
E repare-se que este valor da dívida pública não inclui sequer as dívidas das empresas estatais (que já ultrapassaram os 23% do PIB), nem as parcerias público-privadas (a maior parte das quais começará a ser paga depois de 2013 e cujos encargos futuros já totalizam cerca de 30% do PIB).
Quais as consequências deste elevadíssimo endividamento público? Menos crescimento económico e ainda mais incerteza quanto ao financiamento externo. Há inúmeros estudos que apontam muito claramente que o crescimento económico tende a baixar mais de um ponto percentual quando a dívida pública ultrapassa os 90% do PIB, e que mostram que a margem de manobra da política económica se torna mais reduzida. Os países endividados também ficam mais vulneráveis nos mercados financeiros. Obviamente, não é crível que Portugal será excepção a estas tendências.

Nota: Declarações que fiz ao semanário SOL sobre o impacto da dívida pública no crescimento económico.

4 comentários:

Carlos Pereira disse...

Estranho é que ninguém seja responsabilizado! O banco do réu deve estar cheio de pó, ninguém se lá senta. Enquanto ninguém for responsabilizado, o banquete continuará.

carlos pereira

Anónimo disse...

O que eu gostava de saber é de onde vem exactamente este deficit elevado: os saláros da função pública, tirando o "brinde pré-eleitoral" do ano passado, não aumentavam acima da inflação há para aí 10 anos, significando uma diminuição real do poder de compra. As famosas promoções automáticas acabaram com a alteração do sistema de avaliação de desempenho. Então de onde vem o grande aumento do deficit?

Uma análise cuidada precisa-se, não basta meter tudo no mesmo saco e depois cortar a direito.

Sem saber as causas exactas, não se poderá combater o problema verdadeiro. E é bom que essas causas sejam nomeadas para que toda a gente perceba qual é o problema.

SNG

democracia participativa disse...

PORTUGAL IRÁ PAGAR ISTO MUITO CARO!
OS PORTUGUESES TEM DE SE UNIR E PUNIR SEVERAMENTE NAS ELEIÇÕES PS E PSD, OS ÚNICOS RESPONSAVÉIS PELA SITUAÇÃO ACTUAL DO PAÍS.UMA OUTRA FORÇA POLITICA COM PESSOAS CREDIVÉIS É NECESSÁRIA.
O EMPOBRECIMENTO DA POPULAÇÃO EM PORTUGAL SERÁ CADA VEZ MAIOR CASO O PODER CONTINUE NOS MOLDES ATÉ AGORA OCORRIDOS SÓ PARA MANTER UNS LOBBIES INSTALADOS NO PAÍS E POLITICOS AO SERVIÇO DE CORPORAÇÕES.O POVO QUE SE LIXE!

Anónimo disse...

Não me digam que não sabem que o deficit veio da nacionalização do BPN!?!?!?
E como o estado ficou fiador do BPP teve de pagar uma dívida estrondosa a 7 bancos. NÃO SABIAM????