29 agosto 2008

OBAMA, OBAMA


Mais um discurso memorável de Barack Obama. Perante 85 mil pessoas num estádio em Denver e milhões de outras nos ecrãs da televisão, Barack Obama proferiu um dos melhores discursos dos últimos tempos. Não sou eu que o digo, mas sim practicamente a maioria dos analistas americanos. Até Pat Buchanan, conhecido analista e político da direita mais extremista, afirmou que o discurso de Obama foi o melhor que algum dia ouviu numa convenção partidária. Aqui está a reacção do New York Times e aqui a do Washington Post.
O ataque a McCain foi cerrado, e poucos assuntos foram negligenciados. Dos planos de saúde para todos, dos direitos das mulheres ao direito de ter armas, até à discriminação contra pessoas de diferente orientação sexual, Obama surpreendeu os analistas pelo seu arregaçar das mangas e atacar os republicanos em todos os princípios que defendem. Toda a gente sabia que Obama é um orador excepcional. Mas hoje Obama transcendeu-se e deu um passo de gigante para se tornar no próximo presidente dos Estados Unidos.
^
Obama é tão bom que às vezes é fácil esquecer o significado histórico dos últimos dias. Pela primeira vez na história da América e do mundo ocidental, um negro é candidato à liderança de um dos maiores partidos de um país. A América continua a dar o exemplo. Não é à toa que se viu tanta gente a chorar quando Obama foi nomeado, quando Michele Obama deu um discurso extraordinário e quando Barack proferiu o discurso de hoje.
Para perecebermos o quão importante foi para tanto e tanto afro-americano, vale a pena ler este artigo de opinião no Washington Post.

2 comentários:

Gi disse...

Um bom discurso de comício. Obama é realmente carismático.
Felizmente ainda há quem mantenha a cabeça fria a analisar estas cenas.
Que tal aquela promessa de recrutar um exército de novos professores, e pagar-lhes salários mais altos e dar-lhes mais apoio?
Mas enfim. Let's hope.

Antonio disse...

A onda de esperança que Obama está a levantar deve-se sobretudo a crise de valores e à crise económica que o mundo ocidental atravessa e em que muito poucos se sentem felizes.

E como Obama é um verdadeiro artista com um sentido enorme de encenação e de palco, ele consegue entusiasmar e comover multidões.

E o povo gosta de festa e Obama dá-lhe festa.

Isso é perfeitamente visivel e indiscutivel.

Agora o que Obama vai fazer depois de eleito é um mistério.

Uma coisa é certa. Pouco poderá fazer. Os lobies e os muitos interesses dos poderosos, para além de uma economia enfraquecida e um deficit publico record não lhe deixam grande margem de manobra.

Mas por enquanto o povo quer festa, comicios e promessas e Obama dá-lhes isso tudo. Por isso será com toda a certeza o próximo presidente. E porque tem um aliado excepcional em Mcain.

Mas depois de ganhar as eleições e ao longo dos próximos anos ficaremos a saber quem é Obama.

Antonio