18 março 2009

SANTA IGNORÂNCIA

Na sua primeira visita a África, o Pápa afirmou que os preservativos não são a resposta para a epidemia de HIV-SIDA que grassa nesse continente. Bento XVI declarou ainda que os preservativos, em vez de ajudar, agravam o problema. Moral da história: não será difícil para muitas pessoas e prelados argumentarem que usar preservativos é um pecado e que quem contrai o vírus HIV merece ser castigado. Enfim...
Qual é a solução apresentada pelo Pápa? Abstinência. Muito bem. O que eu gostaria de saber é se alguém já se deu ao trabalho de explicar a Bento XVI a eficácia das campanhas de abstinência no combate ao vírus HIV. É que nos últimos anos foram gastos centenas de milhões de dólares gastas em campanhas de abstinência (quase todas patrocinadas pela administração Bush) e o resultado foi... nulo, ou perto disso. E se é assim, por que razão haveríamos pensar que essas campanhas iriam começar a dar resultado?
É verdade que o combate contra a SIDA passa pela informação e pela mudança de comportamentos. Porém, qualquer estratégia de combate a esta doença tem que forçosamente incluir os preservativos como um instrumento essencial para estancar a epidemia. Argumentar que os preservativos agravam o problema não só é redondamente falso, mas também poderá condenar à morte milhares de pessoas que poderão optar por não os usar com medo de estarem a cometer este ou aquele pecado mortal.

6 comentários:

Jorge Andrez Malveiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gi disse...

Álvaro, mais uma vez, concordo: este Papa, no seu conservadorismo, chega a ser perigoso.

Jorge Andrez Malveiro, esse parece-me um excelente programa de prevenção.

Jorge Andrez Malveiro disse...

O actual Santo Padre tem razão num aspecto: o uso do preservativo não resolve o problema do VIH e neste ponto termina a infalibilidade do Papa sobre este assunto.

O uso do preservativo é uma medida de Prevenção e de redução de riscos absolutamente necessária para evitar a propagação espiral da pandemia.

Aqui na Universidade do Algarve, orgulho-me de ter desenvolvido desde 2002 um Programa de Prevenção de Comportamentos de Risco que envolve a distribuição semanal (e gratuita) de preservativos com informação anexa a todos os alunos das residências universitárias e aos que frequentam os bares, cantinas e serviços médicos da universidade; um rastreio de VIH efectuado todas as semanas, alternadamente em cada pólo da UAlg; sessões de formação ao longo do ano e uma intervenção anual - chamada de TU DECIDES - durante toda a semana das festividades da Queima das Fitas (que aqui se chama "Semana académica").

Distribuímos ao longo destes anos que decorre o Programa de Prevenção mais de 500 mil preservativos e efectuámos mais de 200 rastreios.

Resultado? Agora, ao contrário de quando iniciámos, fala-se abertamente sobre a prevenção das DST, os homens aderem cada vez mais ao programa (no início eram mais as mulheres), o feedback é positivo em 96% dos casos (dados do último inquérito interno) e somos solicitados regularmente pelos alunos para intervir em sessões de esclarecimento sobre o tema.

O Santo padre não sabe ou não quer saber, mas a a verdade - Divina - é que a Ignorância Mata!

Um abraço do Algarve,

JAM

Antonio disse...

Caro Àlvaro,

Ofende-me esses ataques ao Santo Padre. Ele tem toda a razão. De facto os seus paizinhos (dele) deviam ter praticado a abstinência.

Era menos um a dizer coisas verdadeiramente ofensivas.

Antonio

portugal azevedo disse...

Conheço bem Africa. Sei o que é estar isolado numa missão. Pergunto: Como vão reagir as centenas de freiras e missionários que distribuiem preservativos e colaboram nas campanhas ati Sida? Vão dizer que se enganaram? Vão desistir? É dramático!

Alvaro Santos Pereira disse...

Caros Gi, Jorge, António e Portugal,

Obrigado pelos seus comentários, pela ironia e pela divulgação destas iniciativas.

Portugal,
Tem toda a razão. Aliás, é exactamente isso que se está a passar em vários países africanos como os Camarões, um caso que li recentemente

Abraço

Alvaro