03 novembro 2008

ALMÚNIA, O SUPREMO FUNDAMENTALISTA

É impressionante. Portugal e a economia europeia estão prestes a entrar em recessão técnica. E o que é que faz a Comissão Europeia para ajudar? Insiste no cumprimento do moribundo Pacto de Estabilidade. Segundo o PUBLICO, "O comissário europeu para os Assuntos Económicos, Joaquín Almunia, disse hoje em Bruxelas que "há tempo mais que suficiente" para Lisboa tomar medidas que evitem que Portugal volte a registar um défice orçamental acima dos três por cento do PIB em 2010 e, que nesse caso, violaria o Pacto de Estabilidade e Crescimento."
Almúnia é o maior fundamentalista do défice do mundo, o recordista mundial do irrazoabilidade económica. Será que é preciso pensar muito para perceber que esta não é a altura para pensar em fundamentalismos ideológicos? Será que Almúnia não acha que 7 anos de crise em Portugal não chegam? Será que Almúnia (e Barroso) não vêem que tal atitude fundamentalista só diminui o respeito que os cidadãos têm por Bruxelas? Será que Almúnia não percebe que essa atitude fundamentalista só prejudica Bruxelas (para além dos Estados-membros). Enfim. Ridículo.

1 comentário:

Sócrates disse...

A ver vamos quando vierem ao de cima os problemas nos restantes países.

A União Europeia deve fomentar a disciplina orçamental, mas toda a gente sabe que "quando há um terramoto, mais vale um edifício vergar que partir".