21 julho 2008

CIGANOS ITALIANOS

Não é só em Portugal que as comunidades ciganas recebem um tratamento discriminatório e pouco adequado segundo os nossos "elevados" padrões de europeus. Em Itália, as coisas são tão más ou piores que em Portugal. Duas raparigas de etnia cigana afogaram-se este fim-de-semana numa praia perto de Nápoles. Os corpos vieram dar à praia e antes que fossem retirados pelas autoridades, o que é que os(as) banhistas fizeram? Nada. Olharam para os corpos e voltaram costas, banhando-se como se nada tivesse acontecido. Somos assim os europeus. Lutamos pelas grandes causas e pelos direitos humanos em Darfur, pela liberdade do Tibete e da Birmânia, insurgimo-nos contra as atrocidades de Guantanamo, mas quando nos chega a nossa vez fingimos que não é nada connosco. Mas o que é que interessa? São ciganos... Enfim...

4 comentários:

Tiago Moreira Ramalho disse...

Desculpe-me que discorde quando diz que em Portugal os ciganos são tratados de forma discriminatória... isso não é bem verdade.

Maria disse...

A que ponto chegou o ser humano?Seja portugues,italiano,frances ou brasileiro?A indiferença, a falta de compaixão, a frieza diante da tragédia!
Tenho preguiça de gente assim!
Ciganos,negros,judeus,latinos,o que importa a origem?Somos todos seres humanos,um mínimo de amor ao próximo, é o que se espera de alguem diante de um quadro tão triste!

Anónimo disse...

Em Portugal, existe discriminação em relação à etnia cigana, mas uma discriminação bem diferente. Por exemplo, enquanto o cidadão comum, portanto aquele que o Estado gosta explorar mais, tem de cumprir as suas obrigações perante Este e as instituições financeiras, enquanto os ciganos recebem gratuitamente casas, financiadas na íntegra pelo Estado, as quais nunca chegam a ser habitadas pelos mesmos, sendo vendidas passado um mês por uma pipa de massa. Depois surgem novamente as queixas de que os coitadinhos, ostracizados e desfavorecidos ciganos não tem condições, não têm casa e que não têm direitos (e onde pairam as suas Obrigações). E relativamente aos impostos, parece que a lei não se aplica a eles. IRS para eles não existe. Mas têm grandes Mercedes. E o rico sou eu??
Outra questão debruça-se sobre o comportamento da PSP ou GNR face à etnia cigana. Quando um cigano estaciona o carro em cima do passeio, ou quando houver zaragata dentro de um estabelecimento aberto ao público, o Senhor Agente ou o Senhor Guarda não fazem nada, nem se quer piam, mas se o infractor não for de etnia cigana as coisas já não são bem assim. Eu falo por experiência.
Afinal de contas quem é aqui o desfavorecido? Sim, eu, de facto, sinto-me discriminado. E aquilo que aconteceu em Loures é uma grande palhaçada. Num Estado democrática os cidadãos não deviam ter os mesmos Direitos e responderem pelas mesmas Obrigações, em situações identicas?

Gi disse...

Desculpe, Álvaro, mas o que lhe parece que os banhistas deviam ter feito?
Com a maior das penas das raparigas, já não havia nada a fazer para as ajudar.