10 junho 2011

EMIGRAÇÃO PARA O REINO UNIDO

Na última década, o Reino Unido foi um dos países de eleição dos novos emigrantes portugueses. Segundo os dados da Segurança Social e do Ministério do Trabalho britânico, na última década mais de 100 mil portugueses procuraram trabalho na Grã-Bretanha, muitos dos quais acabaram por ficar. Actualmente, e de acordo ainda com as autoridades britânicas, pelo menos 101 mil portugueses vivem na Grã-Bretanha. Esta emigração portuguesa inclui não só indivíduos altamente qualificados, mas também trabalhadores com menos qualificações (há inúmeros portugueses a trabalhar em hoteis e até em estações de serviço das auto-estradas). Esta vaga emigratória para as ilhas britânicas é relativamente recente, pois, até há 10-15 anos não havia uma grande tradição para emigrar para esse país como havia, por exemplo, para a França e para a Alemanha. Tudo se alterou nos últimos anos, e existem hoje em dia comunidades de portugueses signficativas não só em Londres, mas também em cidades como Leeds e Belfast.
A crise da economia britânica parece ter abrandado de alguma forma o fluxo de novos emigrantes portugueses para as ilhas britânicas, mas ainda é cedo para se saber se esta diminuição é meramente temporária ou se é permanente. Logo veremos.
Entretanto, aqui está o gráfico da emigração anual dos portugueses para a Grã-Bretanha desde 1995. É visível a subida pronunciada do número de entradas de emigrantes portugueses nos últimos anos:

Fonte: National Statistics Office

3 comentários:

Anónimo disse...

Muitos dos novos emigrantes portugueses são os filhos daqueles que lutaram contra o regime de Salazar os tais que argumentavam que o regime os obrigava à emigração.


Afinal, depois da "vitória de Abril" fizeram doutores e engenheiros às carradas mas dotados de muito poucas competências.


Agora, licenciados pelas universidades portuguesas, pagas com os impostos dos portugueses, vão EMIGRAR e empregar-se por essa Europa fora como empregados de restaurante e em trabalhos menores, mal ganhando para a sua subsistência.
Numa palavra:
ESCRAVATURA!

Pergunta-se: Então o regime do Doutor Oliveira Salazar é que era mau?

Xico Burro disse...

Não consigo perceber a razão da quase inexistência, até há pouco, de emigração para o R.U., quando nos anos 60/70, Portugal "despachava" por ano mais de cem mil "amantes da aventura" para a Europa. Seria a dificuldade adicional que o Canal introduzia num processo, é bom não esquecer, totalmente clandestino (exceção para a que se destinava à Alemanha)? Ou, teriam os portugueses sido preteridos pelos governantes de S.M. em favor do naturais das antigas colónias ( Paquistão, Bangladesh, India...) Se foi isso, agora têm a recompensa, têm, por exemplo, os soldados britânicos objeto de manifestações de violenta hostilidade por parte dos compatriotas (hindustânicos) que eu já presenciei em Luton.

Bernardo Correia disse...

Querem saber porque emigramos para o Reino Unido?
http://www.portugalvistodefora.com/2011/06/emigracao-para-o-reino-unido.html