26 fevereiro 2008

ECONOMIA AFRICANA _ COMENTÁRIO DOS LEITORES (9)

O Antonio tem o seguinte comentário sobre a ajuda externa a África:
"A miséria do Terceiro Mundo assegura de algum modo o nosso bem-estar. Bem-estar esse que parece já ameaçado pelo crescimento de outras economias que parecem querer sair da miséria como a chinesa, fazendo com que a estabilidade do emrpego na Europa desaparecesse e que a crise social estivesse na ordem do dia.China essa que nos vai roubar África, a América do Sul e o Sudoeste Asiatico porque os seus produtos, embora de menor qualidade, são vendidos a preços muito mais acessiveis em mercados pobres que dificilmente poderão aceder aos produtos ocidentais. Enfim, se queriamos globalização, aqui a temos com uma enorme complexidade de questões que nos pareceriam há uns anos ficção cientifica mas que vão mudar o mundo."
~
Sem dúvida, António. Com efeito, vários economistas têm chamado a atenção para o facto de que a África não está a entrar nos mercados internacionais nas mesmas condições encontradas pelos países do chamado milagre asiático nos anos 70 e 80. Quando, por exemplo, a Coreia do Sul, Taiwan ou Singapura se industrializaram não tinham que se preocupar nem com a China nem com a Índia, pois as exportações destes países estavam praticamente ausentes dos mercados internacionais. O mesmo não se passa hoje, o que origina toda uma série de dificuldades para os países que se querem modernizar utilizando uma estratégia exportadora.
~
É por isso mesmo que alguns economistas muito influentes, como Paul Collier, argumentam que devíamos abrir os nossos mercados às exportações africanas em detrimento dos produtos chineses e indianos.Pessoalmente não concordo com esta solução, mas dá, sem dúvida, que pensar.

1 comentário:

Antonio disse...

Caro Álvaro,

A questão é essa mesmo. Pensar e compreender aquilo que se está a passar à nossa volta.Porque sopram fortíssimos ventos de mudança.E um economista hoje tem de algum modo também ser um historiador. Procurar entender qual vai ser o papel das economias emergentes daqui a 20 anos. E sobretudo compreender o papel do Ocidente daqui a 20 anos. Vamos a tempo de ajudar África? E como fazê-lo ? É que tudo se passa muito rápidamente. Lembremo-nos que há 20 anos ainda não havia telemóveis.
Que há 35 anos no Alabama de George Wallace a segregacção entre Brancos e Negros era total e hoje temos um Barak Obama a criar histeria entre os brancos na América. E que há pouco mais de cem anos nos foi apresentado um mapa cor de rosa. Será que alguma vez seremos capazes compreender África para a podermos ajudar? Receio bem que não. Por isso de uma forma ou de outra vamos levar com ela em cima.

Confesso que me limito a deitar achas para a fogueira mas parece-me que todos se limitam a fazer o mesmo.