24 abril 2011

A PERCEPÇÃO DOS OUTROS

O título mais recente do Financial Times sobre a situação portuguesa é muito sintomático da percepção que os outros têm de nós. O FT diz que nós "estamos de férias" enquanto as negociações do resgate continuam. Exemplo disso, segundo  jornal, é o inexplicável eleitoralismo da tolerância de ponto concedida pelo governo.
Porém, o FT vai mais longe e avança com as medidas que poderão estar a ser preparadas pela "troika" e que deverão ser anunciadas brevemente. Entre outras, o pacote de medidas poderão incluir novos agravamentos da carga fiscal, novos cortes salariais, e o congelamento de pensões. Liberalizações do mercado de trabalho, do mercado da energia e das rendas também deverão ser incluídas.

2 comentários:

José Sousa e Silva disse...

À (má) maneira portuguesa : "enquanto o pau vai e vem ...".

Anónimo disse...

Bem, isso é o que diz o titulo. O artigo propriamente dito é muito mais engraçado porque centra-se na perceppção que os PORTUGUESES têm da percepção que os outros tê deles...

Please respect FT.com's ts&cs and copyright policy which allow you to: share links; copy content for personal use; & redistribute limited extracts. Email ftsales.support@ft.com to buy additional rights or use this link to reference the article - http://www.ft.com/cms/s/0/070c6c5c-6cfd-11e0-83fe-00144feab49a.html#ixzz1KYrEMp92

For many Portuguese it is in fact the contrast between what they perceive as the strong work ethic of the north European officials leading the bail-out talks and Portugal’s more relaxed attitude to work and leisure that goes to the heart of the country’s economic woes.

The extra holiday this week was a “bad example”, conveying a lax approach to work, said António Saraiva, head of the Portuguese Confederation of Industry. “The [EU and IMF] arrive in Lisbon and we set off for the beach.”

Estela Barbot, a Portuguese economist who advises the IMF, said it portrayed an image of a country that was “not prepared to face up to reality”.

Similar pronouncements on every aspect of Portuguese society have proliferated since the troika of senior officials from the European Commission, the European Central Bank and the IMF arrived in Lisbon a week ago."

IsabelPS