29 abril 2008

FERREIRA LEITE

O anúncio da candidatura de Manuela Ferreira Leite galvanizou muitos dos sectores do PSD preocupados com o populismo que parece ter tomado conta do partido. Ainda assim, e mesmo que a candidatura de Ferreira Leite seja bem sucedida, parece-me que esta candidatura não traz muito de novo à política nacional. De facto, esta candidatura representa a continuação do obsessão do défice e do rigor orçamental excessivo. Qual é assim a diferença com o actual governo?
Sou a favor de legislação que promova a consolidação das contas públicas durante os ciclos económicos. No entanto, continuar a dar prioridade ao défice numa altura em que a economia teima em não acelerar parece-me, no mínimo, dogmático e simplesmente errado. Veremos se Ferreira Leite se agarra somente ao défice ou se apresenta propostas concretas para fomentar a retoma económica.

2 comentários:

Antonio disse...

Manuela Ferreira Leite, a senhora deficit não me parece trazer nada de novo. Pelo seu discurso e também pelo seu semblante carregado parece-me ter uma prodigiosa falta de creatividade (tipo Paulo Bento) e não me parece ser capaz de dar a volta à economia portuguesa. Especialmente numa época tão complicada e em que parece que a economia europeia está à beira de um ataque de nervos precisa-se de capacidade e enorme creatividade. Além de que Leite mesmo que pasteurizada arrisca-se a estar fora de prazo. Os seus quase setenta anos não a recomendam para uma situação tão complicada.

Alvaro Santos Pereira disse...

Concordo António. E é uma pena. A verdade é que actualmente não vejo ninguém com propostas concretas e audazes para ajudarem a retoma económica. Continua a obsessão com o défice.

Abraço