16 abril 2008

NOVAMENTE A POBREZA MUNDIAL

A propósito deste post do Pedro Lains e este do Manuel Fonseca, vale a pela relembrar que a pobreza mundial tem decrescido um pouco por todo o mundo, tanto a nível relativo quer absoluto (alguns números já foram apresentados aqui). A razão? Na última década, os países subdsenvolvidos registaram as mais altas taxas de crescimento económico desde sempre. Países anteriormente alegadamente condenados ao fracasso e à miséria têm conseguido emerger das cinzas da pobreza e, aos poucos e poucos, têm alcançado verdadeiros milagres económicos. Estes factos não são de conhecimento geral, porque os media quase sempre preferem enfatizar as desgraças em vez dos sucessos. Mas há sucessos e muitos. Dito isto, uma grande camada da população mundial (o "Bottom Billion" do Paul Collier) permanece desesperadamente pobre. Mesmo assim, nunca houve tanta esperança, nunca houve tanto desenvolvimento como agora. Esperemos que a subida dos preços dos produtos alimentares e/do petróleo não façam descarrilar esta autêntica locomotiva do desenvolvimento.

1 comentário:

Pedro Lains disse...

Pode ser que a subida dos preços dos produtos primários tenha um impacto positivo no crescimento de alguns países em vias de desenvolvimento com sectores agrícolas competitivos. E se os preços altos fizessem baixar os subsídios aos agricultores da UE, dos EUA e do Japão, isso ainda seria melhor. Por cá, na Europa, está tudo calado nos campos, a facturar. Era altura de lhes cortarem uns dinheiritos.