17 março 2008

VENTOS DE INSTABILIDADE

A cada dia que passa parece que aumentam os ventos da instabilidade financeira. Na sexta-feira ficámos a saber que um dos maiores bancos de Wall Street, o Bear Stearns, entrou em colapso e teve que ser resgatado pela Fed. O banco foi agora adquirido pela JP Morgan.
Agora ficámos a saber que a Fed está tão preocupada com o que se está a passar que baixou a sua taxa de desconto (a taxa com que empresta dinheiro aos bancos) de 3.5% para 3.25%. Não parece que os ventos da instabilidade irão abrandar tão cedo.

2 comentários:

P.R. disse...

No livro "A Era da Turbulência", Alan Greenspan, aludindo às repercurssões causadas pelo choque petrolífero disse o seguinte: "De repente, os investidores começaram a antever uma espiral inflacionária induzida pelo preço do petróleo, que conduziria à diminuição do comércio externo,à recessão global, ou pior."

Pensa que estamos perante uma situação semelhante? (em diferentes proporções claro)

Outra dúvida, todos os "especialistas" dizem que o aumento do preço do petróleo não se deve ao excesso de procura (para a oferta existente), variando nas explicações para tal facto. Qual é a sua opinião. Porquê que o preço do petróleo não pára de subir?

Se tiver disponibilidade para responder a estas questões ficaria muito agradecido. Obrigado.

Ah, tal como já tinha referido, adquiri a segunda edição do seu livro "Mitos da economia portuguesa". Bem Haja! São sempre de realçar aqueles economistas que tentam explicar, em linguagem acessível e de forma positiva, os mais diversos "problemas" económicos(neste caso, da economia portuguesa). No final, fiquei a pensar: "também espero que volte a Portugal. por cá fazem muito falta pessoas assim."

Cumprimentos

Alvaro Santos Pereira disse...

P.R.

Muito obrigado pelos comentários e pelas simpáticas palavras. Esperemos, sem dúvida, que um dio o regresso se proporcione.

Entretanto, irei hoje responder às suas perguntas no blogue

Cumprimentos