18 junho 2008

FALTAS AOS EXAMES

Mais de 10 mil (sim, 10 mil) alunos(as) faltaram ao exame de Português realizado ontem. Dez mil. Mais de 14 por cento dos inscritos. As razões para tal omissão transcendem-me (Rolando, alguma ideia?). No entanto, a minha intuição é que tantas faltas têm uma justificação: a demasiada permissividade dos exames. Ou seja, não se faz hoje o exame, faz-se noutra altura. Arranja-se uma justificação qualquer (i.e. um atestado médico, a morte de um familiar, etc) e escreve-se o exame na segunda fase. Assim, juntam-se menos exames de uma vez... É mais fácil...
Enfim, são, sem dúvida, generosos os critérios de exigência do nosso ensino...

2 comentários:

Tiago Moreira Ramalho disse...

Esses rapazinhos correram um grande risco. se fazem a segunda fase nao podem fazer uma terceira. é pena é que possam entrar na primeira fase na faculdade como os outros todos =S

Rolando Almeida disse...

Olá Álvaro,
Sinceramente ainda nem sei quais as consequências desta falta (só na sala onde estive faltaram 5 alunos em 20). Há muitas lições a tirar dos exames, entre as principais:
1) muitos professores defendem um ensino sem exames
2)Existe um verdadeiro drama em relação aos exames, o que prova a falta de hábitos dos nossos estudantes em fazer exames.
3) muitos professores trabalham com 30 ou mais alunos na sala de aula, mas para os exames estão dois professores vigilantes para um máximo de 20 alunos por sala;
4) Dada a extinção de mais alguns exames, os alunos fazem , este ano, dois ou três exames e ficam com metade de Junho, Julho inteiro, Agosto inteiro e mais alguns dias de Setembro sem escola.
5) mesmo que os estudantes faltosos não pudessem usar outra oportunidade para fazer o exame, o certo é que tem muitas alternativas duvidosas para completar o ensino secundário.
6) Ufa!!! Hoje mesmo li nas notícias que a Ministra da Educação está feliz pelos resultados das provas de aferição. Quanto a avaliações internas temos o assunto resolvido. São os noventas e tais de sucesso a matemática e português. Só mesmo em avaliações externas é que estas percentagens perdem qualquer significado.
Assim que tenha novidades darei notícia.
Abraço