16 junho 2008

PORTUGAL A DESAPARECER

A propósito do meu próximo livro (em preparação) tenho feito alguma investigação das obras recentemente publicadas sobre o "destino" e futuro de Portugal. Neste sentido, acabei de ler o badalado "Portugal, Medo de Existir", do filósofo José Gil. Confesso que o livro me decepcionou um pouco. Achei-o um pouco mais denso do que estava à espera e cheio de lugares comuns. Devo ser um dos poucos que o achou, visto que o livro já vai na sua 11ª edição. Ainda assim, Gil levanta uma série de questões interessantes e pertinentes. Das citações a reter inclui-se esta: “Portugal arrisca-se a desaparecer”. E eu pergunto: e para onde é que Portugal vai?

2 comentários:

Rolando Almeida disse...

Olá Álvaro,
Não, não é o único a não apreciar o best seller de José Gil. Há uns tempos também li o labirinto da saudade, do Eduardo Lourenço, que também é um bom desancador da lusitania. Curiosamente fui aluno do José Gil. O livro, por sua vez, mais não faz do que, como bem refere o Álvaro, coleccionar lugares comuns num tom muito apreciado por cá, que é o "deita abaixo". Na altura que o li até pensei tratar-se de uma resposta pessoal a alguém em especial. O que Portugal precisa é de gente a fazer coisas para que o país não desapareça e não tragicamente anunciar o seu desaparecimento.
Abraço
Rolando A

Alvaro Santos Pereira disse...

Olá Rolando

Obrigado. E porque não um filósofo (o Rolando? o Desidério?) escrever um livro para contrapor ao do José Gil.
Tenho que ler o livro do Eduardo Lourenço também

Abraço

Alvaro