11 junho 2008

A PARALISAÇÃO DOS CAMIONISTAS

Esta tarde, o governo e a Associação Nacional dos Transportes Rodoviários de Mercadorias (Antram) chegaram a acordo sobre as reivindicações dos camionistas de apoio ao sector face à subida dos preços dos combustíveis. Como era esperado, o governo cedeu às pressões dos camionistas. Provavelmente, não existiam grandes alternativas. Perante a crescente escassez de alimentos e combustíveis o governo só tinha duas opções: decretar o estado de emergência ou ceder. Como acccionar o estado de emergência seria um pouco dramático, ceder aos camionistas era a única opção.
Ainda assim, é importante que percebamos que, ao ceder, o governo criou um grave precedente. Daqui para a frente, sempre que as coisas não corram bem no seu sector, os camionistas sabem que podem fazer o governo refém das suas reinvindicações com acções do mesmo género. Aliás, daqui em diante, os camionistas nem precisam de ir para as ruas. Basta ameaçar que irão levar a cabo uma paralisação do país para fazer tremer o governo. Mais do que a satisfação das suas reivindicações, esse perigoso precedente é a principal vitória dos camionistas.

1 comentário:

Antonio disse...

Caro Álvaro,

Parece-me que apesar de tudo o Governo se saiu bastante bem. Não cedeu naquilo que para si era fundamental, isto é, não acordou na criação do gasóleo profissional.

Interrogo-me contudo se os camionistas não terão bastante razão e se não seria altura de o governo dar sinais de estimulo à economia em vez da obcessão pelo deficit.

É que até agora tem-se sobretudo assistido a uma cada vez maior regulamentação do sector e a uma fiscalidade mais pesada
Com um enorme prejuizo das pequenas e medias empresas. A subida do preço do gasóleo foi apenas a gota de água. A questão fundamental é que a vida de muitas das pequenas e médias está ameaçada e não é posssivel continuar a ignorar a questão.

Um abraço

Antonio