29 março 2011

CENSURADOS

O governo conservador canadiano foi mesmo censurado pela oposição na última sexta-feira, de modo que os canadianos irão novamente ser chamados às urnas no dia 2 de Maio. Este é, assim, um processo eleitoral bem mais rápido do que o nosso, e que permite reduzir a incerteza para um período bem menor. Porém, há outro facto que vale a pena realçar das eleições canadianas. É que esta é a quarta vez em apenas 7 anos que os canadianos irão votar para o governo central. Ou seja, se há instabilidade política entre nós, no Canadá esta instabilidade é muito mais extremada. E, ainda por cima, pelo que tudo indica, os resultados das próximas eleições irão deixar tudo, ou quase tudo, na mesma.  É natural: O Canadá sobreviveu sem grande sobressalto à tempestade financeira de 2008, e a economia já dá mostras de estar a começar a recuperar. 
E a apesar da instabilidade política que quase toda a gente reclama, a verdade é que a democracia e a própria política económica permanecem bastante estáveis. Porquê? Porque o Estado canadiano está bastante automatizado e continua a funcionar relativamente bem, mesmo em tempos de mais incerteza política. Infelizmente, o mesmo não se passa em Portugal, onde a crise política ameaça ser o ponto central de debate durante a campanha eleitoral que se avizinha. Esperemos que, com isso, não nos esqueçamos dos assuntos que deverão determinar o futuro mais próximo do país.

2 comentários:

Anónimo disse...

Nós nem acelerar as eleições conseguimos, quanto mais sair de uma crise que requer solução muito mais complexa. É uma anedota este país, em que a classe política faz subordinar os interesses da nação aos pessoais e dos partidos.

Miguel Loureiro disse...

Mas é um "contrasenso", que se repete na Bélgica, para pior, que há um ano não tem governo legítimo. Se fossemos anarquistas diríamos que os governos nem são necessários. E na verdade, o povo é que é bom, se não os políticos mudavam de povo, ao contrário do que fazemos.
Resumindo, abaixo os governos (digo eu)!